RSS 2 FeedRedução de custos com hardwares

Atualmente, a utilização da tecnologia é inevitável. Independente do ramo de atuação ou do tamanho da empresa, contar com computadores, usar a internet e implementar softwares de gestão são ações essenciais para manter o negócio competitivo no mercado.

Entretanto, esses recursos não são baratos. Por isso, muitas instituições buscam maneiras de gerar a redução de custos com hardwares e com componentes da estrutura de tecnologia da informação (TI). No meio da saúde isso é ainda mais evidente, devido ao alto custo de investimentos demandados para as empresas do setor.

Para atingir tal objetivo, é possível adotar diversas medidas, desde atividades preventivas e pesquisas por fornecedores menos custosos, até a migração para novos modelos de serviços que, além de gerarem economia, melhoram os processos da empresa e otimizam resultados. 

Pensando nisso, separamos, nesse post, as melhores dicas para gerar a redução de custos com hardwares na sua empresa. Confira!

Fique atento à obsolescência de hardware

Um dos principais problemas ao adotar a tecnologia é a questão da obsolescência dos mecanismos. Isso representa o tempo que os equipamentos levam para serem considerados ultrapassados e precisarem de atualizações ou reposições, significando mais investimento por parte da empresa.

Não há como evitar esse fato. Contudo, é possível adotar medidas para reduzir os custos do processo, como a compra de equipamentos de alta qualidade — o que aumenta a vida útil do item, mas pode apresentar defasagens quando comparado às atualizações das novidades de mercado. 

Apostar, unicamente, na durabilidade de produtos pode significar usar plataformas mais lentas e com menores benefícios que seus concorrentes. Então, a melhor forma de não lidar com esse custo é adotar plataformas no modelo Software as a Service (SaaS) — software como serviço, na tradução.

Normalmente, essas soluções não cobram pela atualização de sistemas, retirando esse custo da empresa.

Empregue a manutenção preventiva

Outra dica importante para manter os seus equipamentos em bom funcionamento é realizar manutenções preventivas periodicamente.

Tal ação permite identificar potenciais problemas e consertá-los antes que eles se tornem algo irreparável, como a perda de documentos ou a impossibilidade de trabalhar por determinado período.

Considere migrar de CAPEX para OPEX

CAPEX é uma sigla inglesa que significa Capital Expenditure, ou despesa de capital em português, e nada mais é que o investimento em bens para a empresa, como a compra de computadores e softwares. 

Já o OPEX significa Operational Expenditure, ou despesas operacionais em português. Consiste no investimento feito em manutenção de equipamentos e despesas operacionais, como outsourcing (terceirização).

Muitas empresas estão substituindo o investimento em CAPEX para destiná-lo ao OPEX, uma vez que este modelo garante mais flexibilidade e redução de gastos para a organização.

Para entender melhor, imagine que a sua empresa possui carros para levar funcionários para reuniões e eventos externos. Em determinado momento, a organização cresce, sendo necessário comprar mais carros para atender a demanda — investimento em CAPEX. Depois de alguns meses, a empresa passa por uma reestruturação e reduz a equipe, gerando ociosidade dos carros e ficando com o capital parado.

Contudo, se ela investir em OPEX e terceirizar essa atividade, realizando uma parceria com serviços como o Uber, a empresa paga apenas pelas viagens realizadas. Desse modo, há redução do valor gasto e eliminação de capital parado.

Avalie a possibilidade de usar soluções em nuvem 

O mercado oferece soluções de software que oferecem plataformas em nuvem, ou seja, elas podem ser acessadas por qualquer dispositivo conectado à internet.

Além disso, essas soluções oferecem maior espaço de armazenamento, atendendo à necessidade de crescimento dos negócios.

Busque empresas especializadas

Por fim, é importante buscar soluções focadas no segmento de atuação da empresa. Isso garante a contratação de serviços direcionados para suas demandas, uma vez que as funcionalidades requisitadas são personalizadas e focadas no que a empresa realmente precisa.

Gostou dessas dicas de como fazer a redução de custos com hardware e atividades de TI na empresa? Então, assine a nossa newsletter para receber outros conteúdos como este!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *