RSS 2 FeedRIS e PACS: como esses sistemas funcionam?

Com o passar dos anos, é notória a evolução e o grau de maturidade que as tecnologias da área da radiologia conquistaram, principalmente os sistemas RIS e PACS. Tida como pioneira na adoção de sistemas clínicos e de trabalho, a radiologia é hoje uma importante referência técnica e de gestão, para os mais diversos departamentos que começaram a introduzir a tecnologia na sua rotina.

Para estar cada vez mais avançada e seguindo a premissa de oferecer o melhor para os pacientes, a integração entre RIS e PACS na radiologia está cada vez mais conquistando o seu espaço nas instituições de saúde. Continue a leitura do artigo de hoje e fique por dentro do assunto!

 O que são RIS e PACS?

RIS e PACS são acrônimos de sistemas de tecnologia da informação, que têm como objetivo principal apoiar as áreas clínicas e administrativas em saúde.

Em meados dos anos 80, foi desenvolvido o sistema PACS (Picture Archiving and Communication System), ou seja, sistema de arquivamento e comunicação de imagens. Ele é tido como uma arquitetura computacional criada para armazenar, capturar, exibir e distribuir imagens médicas. Por meio da funcionalidade de compartilhamento de imagens, é possível acessar os exames gerados e elaborar laudos a distância.

Esse tipo de sistema traz inúmeras vantagens para os profissionais de saúde, que vão desde a integração de dados em uma única plataforma até mesmo a redução de erros em todo o fluxo de trabalho.

Já o RIS (Radiology Information System), sistema de informação de radiologia, é um dos softwares de gestão mais completos para os centros de diagnóstico por imagem. Ele tem como objetivo principal automatizar todo o fluxo de trabalho de uma clínica radiológica.

Essa automação vai desde o agendamento do procedimento até a distribuição do resultado do exame, agilizando, assim, os processos e reduzindo muitos erros.

Além disso, o RIS traz como consequência positiva o aumento da produtividade da equipe, visto que a partir desse sistema é possível acompanhar o status de cada tarefa, além da busca facilitada pelas informações por meio da procura personalizada com palavras-chave e filtros.

É possível haver uma integração entre RIS e PACS?

Os RIS e PACS são dois sistemas que visam a melhorar a gestão interna da radiologia, e a integração desses sistemas está cada vez mais sendo utilizada pelos gestores.

Por serem ferramentas completas, quando integradas, elas geram muitos benefícios para a instituição médica. Uma das maiores facilidades que essa integração proporciona é a agilidade para se trabalhar com mais de um sistema.

Por exemplo, o profissional que trabalha com mais de um monitor, a partir dessa integração, consegue acessar o cadastro do paciente em uma tela, enquanto na outra ele visualiza as imagens do exame, o que torna as informações compartilhadas uniformes.

Quando não há essa integração entre RIS e PACS, o radiologista, por exemplo, precisa cadastrar novamente o paciente na hora do exame. Além de que, caso o médico esteja acessando as imagens pelo PACS e deseja ver o cadastro do paciente no RIS, ele deverá sair do sistema PACS e acessar novamente o RIS. E todo esse tempo perdido poderia ser destinado ao laudo.

Outra questão diz respeito aos cadastros. Sem essa integração é muito comum que as clínicas radiológicas acabem tendo cadastros de pacientes duplicados. Já com a união entre as RIS e PACS é possível economizar tempo por cadastro, o que acaba gerando aumento de produtividade e pacientes mais satisfeitos.

Além disso, essa integração auxilia e evita os processos manuais, que estão cada vez mais em desuso. Um exemplo é a integração e o compartilhamento dos laudos, sem necessitar que o médico ou o assistente tenha que anexar manualmente cada um.

Esse processo de integração também dispensa o uso de papéis e filmes e, dessa forma, se torna muito mais seguro para os médicos, profissionais da saúde e pacientes que têm a segurança da integridade das suas informações clínicas.

Qual é a importância e os benefícios dessa integração?

 A integração entre RIS e PACS classifica-se como um importante passo para um serviço superior em radiologia, visto que, a partir dessa união, é formada uma base sólida que traz inúmeros e diferentes benefícios para os pacientes e profissionais envolvidos no dia a dia de uma clínica.

Esse processo benéfico começa na recepção, onde os dados cadastrados do paciente servem de base para as demais etapas do processo de atendimento. Nessa etapa, enfermeiros, tecnólogos e médicos apenas precisam validar os dados cadastrados com o paciente.

Com isso, os médicos conseguem trabalhar com uma lista de pacientes, sinalizando, assim, as prioridades e os laudos pendentes. Além disso, o paciente consegue ter fácil acesso aos exames, por meio de um portal na Internet, com senha e login que são ofertados logo no momento do cadastro na recepção.

Essa facilidade na troca de dados garante não só a agilidade no fluxo dos pacientes dentro da instituição, mas também a segurança das informações sem o risco de troca de papéis entre indivíduos distintos. Para te deixar ainda mais informado, confira, a seguir, as principais vantagens e os benefícios da integração entre as PACS e RIS.

  • registro exclusivo e único do paciente;
  • acesso universal;
  • distribuição e gerenciamento de imagens;
  • extinção do uso de filmes radiológicos;
  • redução no impacto ambiental proveniente do uso de filme e reveladores químicos;
  • redução de custos;
  • redução no tempo de espera para diagnóstico;
  • maior eficiência operacional;
  • atendimento a distância com ampla assistência e cobertura de dados.

De modo geral, quando RIS e PACS trabalham em união, o fluxo laboral e de gerenciamento acaba tornando-se muito mais fluído e com impactos positivos no fluxo de pacientes, visto que possibilita um atendimento mais rápido e de qualidade, elevando a excelência dos serviços prestados, a partir do uso dessas tecnologias.

O que esperar para o futuro?

Não podemos negar que o setor da saúde passa por uma constante evolução tecnológica. E na área da geração de imagens médicas, isso não é diferente, visto que por si só a área utiliza ferramentas tecnológicas para desempenhar um bom trabalho.

Nesse sentido, a integração entre RIS e PACS apresenta-se como interoperável, com uma maior comunicação e troca de informações de maneira segura e ágil, além da dispensa do uso de papel e filme, o que torna a clínica ou o hospital mais eficiente e sustentável.

Outra previsão é de que, no futuro, cada vez mais os equipamentos que realizam os exames de imagem reduzirão de tamanho. Contudo, em contrapartida com sistemas integrados com RIS e PACS, os resultados dos exames estarão cada vez mais ao alcance dos pacientes em formatos móveis e de maneira que eles consigam compreender boa parte dos diagnósticos.

Se você acha que integrar RIS e PACS pode ser uma excelente opção para a sua instituição de saúde, entre em contato conosco agora mesmo. Teremos o maior prazer em esclarecer todas as suas dúvidas e te auxiliar na resolução das suas necessidades. Aguardamos o teu contato.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *